NacionalServiços

Número de inventários extrajudiciais cresce 90% no Brasil

Fazer a partilha de bens em cartório reduz o tempo para finalização do processo

 Número de inventários extrajudiciais cresce 90% no Brasil

Foto: divulgação

Famílias que precisam passar por um processo de inventário enfrentam muita burocracia e, a depender do patrimônio e do número de herdeiros, o processo pode levar anos. Mas, desde 2007, existe uma alternativa pouco conhecida, mas permitida no Brasil. A lei de número 11.441 regula o processo que, desde que atenda a alguns critérios, pode ser feito de forma mais rápida em um cartório de notas. O processo inteiro leva até 120 dias para ser concluído. De acordo com o advogado Fabio Fernandes Leonardo, o número de inventários extrajudiciais aumentou em 2021.

De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), no Brasil a parcela mais rica da população, cerca de 1% dos brasileiros concentram toda a riqueza do país. Mas a realidade da maioria das pessoas, cerca de 70% das pessoas que moram aqui, vivem com um patrimônio menor que R$50.000. Portanto, a partilha de bens entre os herdeiros não é senso comum entre os brasileiros.

De acordo com o Código de Processo Civil, o inventário deve ser iniciado até, no máximo, dois meses depois da data do falecimento do proprietário dos bens.

Ouça o boletim completo com Angela Luvisotto

Angela Luvisotto

5G em Curitiba: saiba o que muda

5G em Curitiba: saiba o que muda

Quinta geração de serviços móveis deve aumentar a velocidade do serviço

Cerca de 30% das demissões no Brasil foram voluntárias

Cerca de 30% das demissões no Brasil foram voluntárias

De acordo com o IBGE, são quase 12 milhões de desempregados no país

Petrobras anuncia nova redução no preço da gasolina

Petrobras anuncia nova redução no preço da gasolina

Diminuição, no entanto, ainda não chegou até as bombas de combustível

Justiça nega pedido de Habeas Corpus a Jorge Guaranho

Justiça nega pedido de Habeas Corpus a Jorge Guaranho

Para manutenção da prisão, o relator citou "as eleições que se avizinham"