COLUNAS

Colunistas // Mirian Gasparin

Setor ótico se apresenta como um negócio lucrativo

 Número de novos empreendedores continua crescendo

Foto: Pixabay

Cada vez mais pessoas estão buscando abrir o seu próprio negócio. Neste período de pandemia, por exemplo, quando muitos profissionais perderam seus empregos, empreender foi a solução encontrada. E isso pode ser comprovado em números. Pesquisa do Sebrae aponta que em 2020 e 2021 foram abertas, no Paraná, 501 mil empresas, sendo 75% destes negócios pertencentes a microempreendedores individuais.  Este ano, entre janeiro e maio, foram abertas em todo o Estado, mais de 117 mil empresas.

E um dos setores que segue um alto ritmo de expansão é o varejo ótico. Aliás, investir em óticas pode ser uma alternativa para novos empreendedores ou empresários que buscam diversificar o tipo de investimento.

A verdade é que a cada ano que passa, mais pessoas têm apresentado problemas de visão. Segundo o IBGE, no Brasil existem aproximadamente 100 milhões de pessoas que necessitam de algum tipo de correção visual, sendo que 36,5 milhões de pessoas usam óculos. Já de acordo com a Associação Brasileira da Indústria Óptica, a venda de óculos cresceu mais de 9% no ano passado e para os próximos anos, a perspectiva é de que o segmento cresça, em média, 8% anualmente, podendo atingir um faturamento de R$ 279 bilhões até 2028.

Diante dos números apresentados, as óticas se mostram uma alternativa viável para o empreendedor que busca um negócio para investir. Para o gerente de escritório da Cecop Brasil, que é a maior comunidade de óticas independentes do mundo, o executivo Rafael Rodrigues, o primeiro passo para estruturar um negócio de sucesso é realizar um estudo de mercado, analisando condições financeiras e a viabilidade do projeto. Também é necessário que a loja esteja adequada em frentes como regulamentação do ponto de venda, experiência e jornada do cliente, bem como garantia de fornecedores de qualidade.

Por fim, os novos empresários que estão no mercado em busca de um investimento com alto retorno e segurança não devem se esquecer que o varejo ótico sempre está se reinventando e a cada ano traz diversas inovações.

Confira a coluna em áudio:

Mirian Gasparin