Operação integrada prende 13 suspeitos de tráfico de drogas no Centro de Curitiba

(Foto: divulgação/Polícia Civil)

13 pessoas foram presas suspeitas de ligação com o tráfico de drogas no Centro de Curitiba. De acordo com a Polícia Civil, as prisões fazem parte de uma operação integrada com a Guarda Municipal da cidade e cumpriu também 16 mandados de busca e apreensão. Outras duas pessoas que estavam com mandados de prisão em aberto também foram detidas. Três suspeitos estão foragidos.

De acordo com o secretário municipal de Defesa Social e Trânsito, Guilherme Rangel, as investigações tiveram início há três meses após a polícia receber várias denúncias anônimas sobre o tráfico de drogas no local. Neste período foram analisadas diversas câmeras de segurança para a identificação envolvidos com o tráfico. Ele conta que o ponto de venda de drogas era comandado de dentro de um presídio.

Com apoio de viaturas, motocicletas e módulos móveis, guardas e policiais fizeram abordagens nas praças Tiradentes, Santos Andrade, Carlos Gomes, Rui Barbosa, Afonso Botelho e Nossa Senhora de Salete, no Largo da Ordem, no Passeio Público, na XV de Novembro e outras ruas próximas a esses pontos. Além de viaturas, o helicóptero da Polícia Civil também foi usado para a ação.

Segundo a polícia, o tráfico no local era gerenciado por uma das suspeitas presas. De acordo com as investigações, a mulher é namorada de um membro de uma facção criminosa paulista.  O delegado Pedro Felipe, do 1º Distrito Policial, explica que prisões como essas feitas durante a operação são cada vez mais difíceis, já que os traficantes atuam com cautela.

Nas imagens, homens e mulheres aparecem vendendo e escondendo drogas em diferentes pontos da cidade. Em uma delas, uma grávida foi flagrada trocando pedras de crack por latas de leite em pó. Segundo a polícia, ela também trocava drogas por fraldas. O delegado titular do 1º Distrito Policial, Danilo Zarlenga, conta que as investigações continuam e focam na segurança do Centro da cidade para as últimas semanas do ano, quando há maior movimento do comércio.

Ao longo das investigações, os policiais fizeram imagens dos suspeitos para confirmar se os investigados eram traficantes e não usuários de drogas.

Reportagem: Leonardo Gomes

(Foto: divulgação/Polícia Civil)
(Foto: divulgação/Polícia Civil)