Operação Mata Atlântica em Pé fiscaliza desmatamento em propriedades de 16 estados

Foto: Denis Ferreira Netto/SEMA- Arquivo/ANPr

Até sexta-feira (20), propriedades de pelo menos 16 estados brasileiros estão sujeitas a vistorias e autuações, caso sejam confirmados desmatamentos ilegais. O trabalho de fiscalização iniciado nesta segunda-feira (16) é a terceira edição da Operação Mata Atlântica em Pé no Paraná e a segunda com abrangência nacional. A iniciativa envolve Promotorias, policiais e agentes públicos ligados ao meio ambiente em estados brasileiros que abrigam o bioma Mata Atlântica.

Coordenado pelo Ministério Público do Paraná, o trabalho tem como ponto de partida informações de satélite e atlas desenvolvidos pela SOS Mata Atlântica e Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). O coordenador nacional da operação, o promotor de Justiça Alexandre Gaio, diz que os Ministérios Públicos nos estados recebem previamente as imagens e fazem uma análise comparativa entre o indicativo de desmatamento nas condições atuais e a situação dos imóveis em períodos anteriores.

Na edição da Operação Mata Atlântica em Pé do ano passado, desmatamentos foram identificados em 5.285 hectares de florestas. Gaio afirma que o trabalho de fiscalização em campo costuma confirmar quase a totalidade do diagnóstico feito pelo Inpe e eventualmente identifica situações de devastação ainda maiores do que as estimadas.

Além de autuações, as operações costumam resultar também em apreensões. Em 2018, os agentes públicos apreenderam 7.467 metros cúbicos de madeira cortada ilegalmente, o equivalente a 870 caminhões carregados. Desse total, 1.500 metros cúbicos foram apreendidos no Paraná. Segundo o promotor Alexandre Gaio, o desmatamento tem diversas origens, mas o agronegócio segue sendo a principal ameaça aos 12% de Mata Atlântica remanescentes no Brasil.

A fiscalização do ano passado resultou na emissão demultas no valor total de R$ 20.640.112,00. A operação deste ano tem a adesão dos Ministérios Públicos estaduais de Alagoas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo. De todas as unidades da federação que abrigam a Mata Atlântica, apenas Sergipe ficou de fora da iniciativa. O bioma ocupa uma área de 1.110.182 Km², o equivalente a 13,04% do território nacional.

A Mata Atlântica é um dos sistemas mais explorados e devastados pela ocupação humana. Cerca de 70% da população brasileira vive em território onde antes havia esse tipo de cobertura. Estima-se que 80% do remanescente da vegetação original preservada seja mantido em propriedades particulares.

A Mata Atlântica é considerada um dos biomas com maior diversidade de espécies de fauna e flora. Alguns trechos dessas florestas são declarados Patrimônio Natural Mundial pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura).

Reportagem Lenise Klenk