Paraná recebe quarto grupo de venezuelanos até dezembro

Foto: Ricardo Marajó / Arquivo FAS

Um novo projeto de acolhimento de imigrantes se prepara para receber mais 102 venezuelanos na região de Curitiba. O grupo deve ser trazido de Roraima entre o final de novembro e o começo de dezembro. Diferentemente dos primeiros venezuelanos que chegaram ao Paraná neste semestre, os próximos serão alojados em casas alugadas pelas instituições responsáveis pela iniciativa. O programa de acolhida, proteção e integração recebeu o nome de Pana, palavra que significa “amigo” em um idioma indígena da Venezuela. Idealizado pela Cáritas da Suíça em parceria com o governo dos Estados Unidos, o projeto será executado em sete capitais pela Caritas brasileira. Além de Curitiba, as cidades que vão participar do Programa Pana são Boa Vista, Porto Velho, Brasília, Recife, São Paulo e Florianópolis.

Os locais foram escolhidos com o entendimento de que, por serem grandes áreas metropolitanas, devem favorecer a integração. Um dos articuladores locais do programa, o psicólogo Marcos Regazzo, diz que os imóveis alugados serão casas de passagem, que devem dar lugar a um novo grupo de 102 venezuelanos em cerca de quatro meses. A desocupação deve ser feita na medida em que as pessoas sejam deslocadas para outras cidades ou tenham condições de viver pelos próprios meios em Curitiba.

As instituições têm orçamento para pagar aluguel de aproximadamente R$ 900 por casa. A intenção é alugar entre 17 e 22 imóveis para cerca de 5 pessoas em cada. A seleção, que será feita em Boa Vista, capital de Roraima, deve levar em conta a disposição dos venezuelanos de se transferir para cidades do interior do Paraná. Segundo Marcos Regazzo, a equipe responsável pelo programa em Curitiba considera a possibilidade de alugar casas na região metropolitana porque está enfrentando resistência dos proprietários de imóveis na capital.

As casas alugadas serão mobiliadas e equipadas com a ajuda de doações que chegarem da comunidade. Regazzo diz que todo tipo de ajuda é bem-vindo.

O Paraná já recebeu três grupos de imigrantes venezuelanos atendidos pela Operação Acolhida, projeto do governo federal que tem o apoio da Agência da ONU para Refugiados, a Acnur. Uma parte está em Curitiba, em um imóvel alugado pela Cáritas, chamado de Casa Dom Oscar Romero. Alguns já se mudaram para outras cidades, onde conseguiram oportunidades de trabalho. Atualmente são 104 pessoas em Curitiba. Outra parte está em Goioerê, no Noroeste do Paraná, sob a responsabilidade da organização Aldeias Infantis SOS. Pessoas interessadas em ajudar os venezuelanos com doações podem entrar em contato com a Caritas em Curitiba pelo telefone (41) 3023-9907. As doações também podem ser entregues das 9h às 17h na Casa de Acolhida Dom Oscar Romero, na Rua General Teodorico Guimarães, número 48, no bairro Fanny.

Reportagem: Lenise Klenk

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*