Paratleta paranaense de oito anos é campeã brasileira de Parajiu-Jitsu

(Foto: Arquivo Pessoal)

Amanhã (21) é o Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência, uma data para conscientizar e discutir a inclusão. Para Eduarda Góes Guardiano, de 8 anos, a luta começou já nos primeiros segundos de vida. Duda, como é conhecida, nasceu sem uma das pernas por conta de uma má formação congênita, e hoje é Campeã Brasileira de Parajiu-Jitsu.

A relação com o esporte começou há pouco mais de um ano e a paratleta já coleciona 10 medalhas. A primeira luta foi em Araucária em uma competição de Jiu-Jitsu para crianças. A mãe de Eduarda, Fátima Cristiane Góes Guardiano, diz que foi emocionante ver a filha no tatame com o primeiro, e favorito, quimono cor-de-rosa. 

A ideia e o incentivo vieram do professor de Jiu-Jitsu Denis Napolitano. Segundo ele, apesar de ser um esporte que começa em pé, toda a luta acontece no chão, e por isso a limitação da Duda não é um problema.

Atualmente, a Duda treina duas vezes por semana no Ginásio Max Roseman, em São José dos Pinhais, e de acordo com o pai Jean Emerson Guardiano, o esporte foi uma salvação na vida da Eduarda.

No Campeonato Brasileiro de Parajiu-Jitsu, em julho deste ano, a Duda teve contato com outros paratletas. Ela conta que nesse momento percebeu que não estava sozinha no mundo.

A próxima disputa da Duda é no Campeonato Paranaense, que acontece no dia 6 de outubro. O Dia Nacional da Luta das Pessoas com Deficiência foi oficializado em 2005, e a data 21 de setembro simboliza o próximo início da primavera, em uma analogia de que as flores representam a renovação da luta das pessoas com deficiência.

(Foto: Arquivo Pessoal)
(Foto: Arquivo Pessoal)