COLUNAS

Colunistas // Mirian Gasparin

Companhias buscam maior diversidade nos conselhos e membros mais jovens

 Perfil dos conselheiros das empresas está mudando

André Freire Foto: Rick Nogueira

Está mudando o perfil dos membros que compõem os conselhos das empresas brasileiras, que estão buscando maior diversidade, aumentando as exigências em relação à especialização e diminuindo a idade dos conselheiros.

O perfil dos membros de conselhos de empresas brasileiras mudou bastante nestes últimos anos. O estudo “A Governança Corporativa e o Mercado de Capitais” mostra que além do aumento no número de conselheiros nas empresas está ocorrendo uma maior diversidade, exigindo-se maior especialização e diminuição na idade média dos membros dos conselhos.

Hoje, por exemplo, a média de membros nos conselhos de administração das empresas brasileiras está na casa de 7,1. Em 2021, as 280 empresas brasileiras de capital aberto contavam 1.988 cargos de conselheiro de administração, o que representou um crescimento de 15% em relação ao ano anterior. Este aumento foi atribuído ao número de abertura de capital de companhias no período.

No caso da idade dos conselheiros, a principal tendência é o rejuvenescimento dos membros. Hoje, a idade média dos conselheiros nas grandes empresas é de 58 anos, mas 8% dos conselheiros têm idade entre 31 e 40 anos e 20% têm entre 41 e 50 anos.

Outra mudança que ocorre nos conselhos, é a participação feminina. Embora o número de mulheres nos conselhos de administração das grandes empresas seja pequeno, vem crescendo com o passar dos anos. Em 2021, a participação das mulheres foi de 14%, bem acima dos 6% que foram registrados dez anos atrás. Porém, o ideal seria que este percentual chegasse a 30%.

Eu conversei com o especialista em recrutamento de executivas da EXEC, André Freire, que palestrou no 3º encontro do programa Mulheres na Governança, realizado pelo MEX, da Lapidus Network, e ele me disse que as empresas têm requisitado mais mulheres para cargos nos conselhos, mas embora muitas profissionais estejam se preparando já há algum tempo, o número ainda é insuficiente para atender a demanda.

Freire participou, em Curitiba, do 3º Encontro do Programa Mais Mulheres Executivas, promovido pelo MEX. O objetivo do encontro foi incentivar que mais mulheres sejam inseridas em cargos de governança e nos conselhos corporativos.

Por fim, vale destacar a profissão dos conselheiros.  Grande parte dos membros dos conselhos de administração tem formação nas áreas de engenharia, administração, economia e direito. No entanto, muitos deles procuram maior especialização ou buscam aumentar seus conhecimentos por meio de cursos e treinamento em temas como Tecnologia da Informação, ESG, Lei Geral de Proteção de Dados, entre outros.

Confira a coluna em áudio:

Mirian Gasparin