Pesquisa de alunos de Paranaguá é premiada pela Nasa

(Foto: divulgação/Michelle Mendes)

Alunos do Colégio Bento Munhoz da Rocha Neto, de Paranaguá, foram premiados em um concurso nacional, promovido pela Agência Espacial Americana, a NASA. O projeto faz parte do programa Globe, para coleta de dados ambientais em todo o mundo.

Com o tema “A influência de fertilizantes e grãos no desenvolvimento das larvas do mosquito Aedes aegypti na cidade de Paranaguá-PR”, os alunos demonstraram a aceleração no tempo de desenvolvimento da larva para mosquito, em basicamente 100%, podendo ser uma das causas do surto de dengue ocorrido no município.

A professora de Ciências e orientadora dos alunos, Michele Mendes passou por uma capacitação em junho do ano passado, oferecida pela Nasa e ministrada na Universidade Federal do Paraná. Com a capacitação a professora Michele, que é Mestre em Desenvolvimento Territorial, pôde auxiliar os alunos na pesquisa, coleta de dados e no lançamento dos registros no aplicativo desenvolvido pela Agência Espacial Americana.

A pesquisa foi realizada no ano passado, no bairro vizinho à escola. Os pesquisadores montaram armadilhas para captura dos mosquitos e iniciaram o protocolo de pesquisas para estudar a proliferação dos ovos em quatro diferentes ambientes: primeiro, uma solução apenas com água; outra com água e fertilizante; uma terceira solução com água, fertilizantes e soja e a quarta armadilha com água e soja.

A região no entorno da escola apresentou muitos casos de dengue, inclusive com óbitos durante a epidemia. Os resultados obtidos, segundo a professora alcançaram outros objetivos, além do científico.

A aluna Raissa Ferreira Straus, de 13 anos, participou do projeto de iniciação científica e ficou feliz com a descoberta que ela e os amigos fizeram a partir da pesquisa científica.

O Colégio Bento Munhoz da Rocha Neto fica localizado nas proximidades do Porto de Paranaguá. A instituição de ensino, desenvolve projetos e participa de programas que visam a iniciação científica, despertando o interesse e a curiosidade do aluno em descobrir.

A escola vai utilizar o prêmio recebido no valor de 700 reais para aquisição de microscópio que se acopla ao celular. Agora alunos e professores estão mobilizados para apresentar a pesquisa nas feiras Febrace (São Paulo) e Moatratec (Rio Grande do Sul).

Presente em mais de cem países de todos os continentes, a iniciativa da Nasa capacita professores para conduzir atividades de aprendizagem e medição científica de parâmetros ambientais por meio de protocolos específicos, construídos pela agência espacial. O programa permite ainda que os participantes se conectem com estudantes e cientistas de todo o mundo por meio de projetos de ciência.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*