Pesquisadores testam no Maranhão tratamento que pode prevenir a hanseníase

(Foto: divulgação)

Uma equipe de pesquisadores do Instituto Aliança Contra a Hanseníase, sediado em Curitiba, está em Imperatriz, no Maranhão, para dar andamento a um estudo que busca tratamentos mais eficazes para a doença.

De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), essa é justamente uma das enfermidades mais negligenciadas do mundo. O objetivo da pesquisa é avançar na prevenção, protegendo aqueles que estão em contato com os doentes.

De acordo com a presidente do Instituto Aliança Contra a Hanseníase, Laila de Laguiche, a pesquisa acompanha cerca de 5.000 pessoas em tratamento:

A dermatologista explica que esse tipo de tratamento já foi validado com outras doenças, como a meningite. A médica detalha como funciona esse método de medicina preventiva:

Ao todo, são 10 pesquisadores e profissionais enviados pelo Instituto Aliança Contra a Hanseníase a Imperatriz, no Maranhão. Os estudos acompanham o tratamento de cerca de cinco mil pessoas. Elas são avaliadas em intervalos de cinco a 10 anos.

Os testes começaram em 2010; uma segunda fase foi colocada em prática em 2015. O projeto chega, agora, em um momento de coleta de dados.

Reportagem: Angelo Sfair

(Foto: divulgação)