PF desarticula esquema de fraudes milionárias no INSS

(Foto: arquivo/divulgação/Polícia Federal)

Crimes contra o INSS com desvios estimados em pelo menos dois milhões de reais são alvos de uma operação desencadeada hoje (06) pela Polícia Federal. O objetivo é desarticular uma quadrilha especializada em criar falsas pessoas físicas e jurídicas. Ordens de busca e apreensão são cumpridas em Curitiba, São José dos Pinhais, Cascavel e Marechal Cândido Rondon, no Paraná; e na cidade de Bombinhas, em Santa Catarina. Um dos investigados também deve ser preso, já que tem envolvimento com outros crimes.

O grupo passou a ser investigado pela Polícia Federal no ano passado, após a suspeita de fraudes no pagamento de uma pensão por morte. Quando o caso foi apurado constatou-se que nem o viúvo nem a suposta esposa morta existiam. Os desvios começaram entre 2008 e 2009. O valor pago pelo INSS aos criminosos era o teto das pensões: 5 mil e 645 reais.

A “criação” de pessoas físicas falsas envolvia um sofisticado esquema de falsificação de documentos públicos, abertura de contas bancárias e outras movimentações financeiras. Além disso, as pessoas fictícias eram usadas para a abertura de empresas. Segundo a Polícia Federal, esse emaranhado de pessoas físicas e jurídicas falsas dificultava o rastreamento dos autores das fraudes. Com a operação da PF, todos os benefícios suspeitos foram suspensos. Seis pessoas envolvidas nas fraudes tiveram os bens bloqueados, assim como 20 pessoas físicas e jurídicas fictícias usadas para a movimentação do dinheiro desviado.

A operação recebe o nome de “Crotalus”, gênero da cobra Cascavel. É uma referência à cidade do Oeste do Paraná, onde mora um dos mentores do esquema.

Reportagem: Angelo Sfair

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*