Polícia faz operação contra o tráfico de drogas no litoral do Paraná

Foto: divulgação/Polícia Civil

Sete pessoas apontadas como chefes de três diferentes quadrilhas de traficantes de drogas que atuam principalmente no Litoral do Paraná estão na mira da “Operação Praia Limpa” – deflagrada na manhã desta terça-feira (4) pelo Cope (Centro de Operações Policiais Especiais), da Polícia Civil.

Ao todo devem ser cumpridos 33 mandados judiciais, sendo sete de prisão preventiva e outros 26 de busca e apreensão. A operação acontece em Matinhos e Pontal do Paraná. A investigação revelou que os grupos atuam de forma independente no tráfico de diferentes drogas: maconha, cocaína e drogas sintéticas.

Além dos crimes de tráfico e organização criminosa, existe a suspeita de que estas quadrilhas possam estar envolvidas em homicídios contra rivais. Em uma das gravações, autorizadas pela Justiça, uma mulher orienta um membro do grupo a não carregar drogas nos próximos dias, imaginando que o policiamento seria reforçado na região.

Nos celulares apreendidos estão conversas sobre a venda de maconha e cocaína e até de metralhadoras. Em outras duas interceptações telefônicas, os criminosos falam de armas escondidas e de venda de drogas sintéticas em uma festa.

O delegado Rodrigo Brown, do Cope, afirmou que as investigações já estavam em andamento e que a operação foi antecipada após a morte do policial civil Jorge Brito, baleado no último sábado e que morreu ontem (segunda) no hospital.

O policial foi atingido por pelo menos três tiros, disparados por um homem apontado como traficante da região. O suspeito foi preso junto com um comparsa. Eles confessaram participação no atentado.

Reportagem: Ricardo Pereira

Foto: divulgação/Polícia Civil

Comments

  1. Parabéns Del Brown e equipe justiça seja feita. Vamos limpar o nosso litoral que está infestado de drogas e foragidos.
    DEPSD/SESP PR departamento estadual de politicas publicas sobre drogas do Paraná

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*