Presos trabalham em “Hospital de livros” em penitenciária de Ponta Grossa

Foto: Divulgação/Pegaí

Um hospital onde os pacientes são livros antigos, precisando de restauro. Os médicos são detentos da Penitenciária Estadual de Ponta Grossa, no Paraná. O Hospital de Livros funciona na unidade desde 2015 e foi criado em parceria com o Instituto Pegaí, que incentiva a leitura por meio de estantes de empréstimo em espaços públicos. Muitas obras acabam danificadas ou são doadas precisando de recuperação. Ao visitar a unidade prisional na intenção de contribuir com um projeto de leitura para os detentos, o coordenador do Instituto, Idomar Cerutti, teve a ideia de ir além.

Cerca de 40 detentos já fizeram o treinamento de restauro e centenas de livros foram recuperados por eles. As obras são enviadas para 49 estantes espalhadas por oito cidades no Paraná. São locais públicos, de fácil acesso, onde é possível emprestar o livro sem burocracia. Ao todo, o Instituto já emprestou mais de 210 mil exemplares.

É comum a gente ouvir que o hábito da leitura pode transformar vidas. Mas os livros, ali na penitenciária, ajudam os presos a mudarem de vida de outra forma. 

Quem quiser emprestar ou doar algum livro pode fazer isso em qualquer uma das estantes do Instituto Pegaí. No site, pegai.info há um mapa interativo com os pontos onde as estantes estão.

Reportagem: Ana Flávia Silva

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*