Principal delator da Operação Carne Fraca é exonerado

(Foto: reprodução/Google Street View)

Delator da Operação Carne Fraca e ex-chefe do Ministério da Agricultura no Paraná, o servidor Daniel Gonçalves Filho foi exonerado do cargo na semana passada. Ele foi investigado pela Polícia Federal na operação que detectou falhas e cobrança de propina na fiscalização de alguns dos principais frigoríficos do país. Daniel Filho acabou admitindo os crimes e se tornou delator da Carne Fraca, que foi deflagrada em março de 2017.

Ele afirmou que era orientado a arrecadar uma espécie de “mensalinho” dos frigoríficos fiscalizados pelo Ministério da Agricultura, e que repassava parte dos valores a políticos e deputados que o indicaram ao cargo. Os parlamentares ainda estão sob investigação no Supremo Tribunal Federal.

A portaria que exonerou o ex-servidor foi publicada na última quarta-feira (17). Ele foi demitido e perdeu as funções de servidor público após a conclusão de um processo disciplinar por improbidade administrativa, justamente pelos desvios que admitiu. Além dele, também foi exonerada a servidora Maria do Rocio Nascimento, que também fazia parte do grupo investigado pela PF e fez delação premiada. Os dois também foram condenados pela Justiça Federal pelos desvios.

A defesa dos ex-servidores vai contestar a decisão: os advogados sustentam que ela não obedeceu a decisões judiciais e que foi precipitada.

Reportagem: Estelita Carazzai