Problemas na 277 e ferry-boat devem atrasar viagem até janeiro

O fim de semana começa com filas de mais de 8 quilômetros

 Problemas na 277 e ferry-boat devem atrasar viagem até janeiro

Foto: reprodução/Dnit – Arquivo

Os motoristas que precisam utilizar a BR 277, em direção ao litoral do Paraná, enfrentam mais um dia de congestionamento por causa de uma queda de barreira no quilômetro 42. O deslizamento foi em outubro.

O trecho segue parcialmente interditado e na manhã deste sábado (19) chegou a ter pelo menos oito quilômetros de lentidão sentido praias. No sentido Curitiba não há filas.

O motorista demora mais de uma hora para passar pelo trecho parcialmente interditado.

O problema deve seguir nos próximos meses.

Por enquanto, não há previsão de operações especiais da Polícia Rodoviária Federal para evitar mais filas.

A previsão do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) é que a obra, que ainda não começou, seja encerrada somente no fim de janeiro.

Uma licitação emergencial foi feita para a contratação da empresa que vai executar a obra de readequação.

VEJA MAIS:

A solução será uma tela metálica com grampos. Serão instaladas barras de metal na rocha, para evitar que novos deslizamentos terminem na rodovia.

Ferry-boat está com capacidade menor

Uma alternativa para chegar ao litoral do Paraná seria seguir pela BR-376, no sentido Santa Catarina, até Guaratuba e pegar o ferry-boat.

No entanto, o serviço funciona com apenas um atracadouro até o início de dezembro.

Segundo a Internacional Marítima, a empresa responsável, o atracadouro 01 está interditado para manutenção.

Reportagem: Lorena Pelanda/Larissa Biscaia

lorena.pelanda

Câmara de Curitiba retoma sessões nesta segunda

Câmara de Curitiba retoma sessões nesta segunda

Veja quais assuntos estiveram em pauta e como estão divididos os blocos parlamentares

Homem morre afogado na Lagoa Azul, em Morretes

Homem morre afogado na Lagoa Azul, em Morretes

Foram realizadas manobras de reanimação por quase uma hora, mas a vítima não sobreviveu