Procurador Carlos Fernando Lima deixa a força-tarefa da Lava Jato

(Foto: reprodução/Facebook)

O procurador regional da República Carlos Fernando dos Santos Lima, considerado um estrategista na Lava Jato em Curitiba, não faz mais parte da força tarefa. Ele pediu afastamento na semana passada e volta a se dedicar exclusivamente às atribuições que tem na Procuradoria Regional da República da 3.ª Região, que atua no Tribunal Regional Federal de São Paulo.

A saída da força-tarefa, que ainda não foi publicada em Diário Oficial, é parte de uma decisão relacionada à aposentadoria que Santos Lima pediu. Ele deve se aposentar no início do ano que vem. O procurador, de 54 anos, participou da Lava Jato desde o início, em março de 2014, e dizia se concentrar na abertura de novas frentes de investigação.

A experiência em acordos de delação premiada também fazia com que ocupasse o papel de negociador de colaborações. Em meados de 2017, passou a protagonizar – ao lado do coordenador Deltan Dallagnol – a defesa do Ministério Público Federal em publicações que fazia nas redes sociais.

O procurador se tornou um militante da causa do combate à corrupção, respondendo a ataques e também atacando quem criticava a Lava Jato. Em inúmeras postagens reagiu a medidas que eram desaprovadas pelos integrantes da força-tarefa, como a libertação de presos investigados. Segundo a assessoria do Ministério Público Federal, Carlos Fernando dos Santos Lima será substituído na força-tarefa, mas o nome do procurador que vai assumir a vaga ainda não foi confirmado. A equipe deve continuar com 13 integrantes.

Reportagem: Lenise Klenk

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*