Reajuste dos servidores do Judiciário será votado de forma separada na Alep

A Assembleia Legislativa do Paraná indica que os servidores do Poder Judiciário e do Ministério Público podem ter a recomposição salarial paga de forma integral. A tendência é que os deputados votem de forma separada um projeto de reajuste de 4,94%, em parcela única, exatamente como o Tribunal de Justiça (TJ-PR) propôs. A Assembleia Legislativa estudava, até então, uma forma de igualar o reajuste da magistratura com o do funcionalismo público ligado ao Executivo.

Os servidores do Judiciário e do MP entendem que os recursos financeiros para o reajuste já foram provisionados pelos órgãos. Por isso, para eles, não faz sentido que a recomposição não seja entregue de forma integral, em parcela única. Sindicatos ligados às categorias se reuniram com o governo nesta semana.

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ademar Traiano (PSDB), afirmou que os argumentos são válidos:

O deputado afirmou que a situação já está definida: a Casa vai esperar a aprovação do reajuste do Executivo, para então pautar a questão do Judiciário.

A expectativa é que o assunto comece a ser discutido em breve, já nas próximas sessões:

Enquanto a tendência é que os deputados aprovem um reajuste de 4,94%, em parcela única, aos servidores do Judiciário e do MP, a proposta do Executivo aos seus servidores é menos atraente. O governo alega que só poderá pagar parcelado. A recomposição total, que pode chegar a 5,09%, será paga em parcelas de 2%, no ano que vem, e de cerca de 1,5% nos dois anos subsequentes.

Reportagem: Angelo Sfair