COLUNAS

Colunistas // Mirian Gasparin

Com oferta maior, varejistas esperam queda nos preços

 Setor de flores está otimista com as vendas nesta primavera

Foto: divulgação

Os produtores de flores, atacadistas bem como os empresários de floriculturas e decoradores estão otimistas com a primavera. Isto porque a estação das flores chega junto com um momento muito aguardado que é o aumento tanto da oferta como do consumo de flores de corte, após uma grande demanda reprimida de eventos e festas. 

Muito utilizadas na decoração de casamentos, festas de aniversário e eventos institucionais e corporativos, as flores de corte foram, seguramente, um dos produtos mais impactados pela pandemia. Devido ao distanciamento social obrigatório, os eventos, festas e comemorações coletivas foram os primeiros a parar e um dos últimos a voltar. O setor também enfrentou outra dificuldade, que foi   a baixa oferta de produtos, que acabou por elevar os preços das flores em geral. Mesmo assim, o setor encerrou 2021 com um faturamento de quase R$ 11 bilhões. Só as floriculturas faturaram mais de R$ 1,8 bilhão. Para este ano, a estimativa é que o mercado de flores cresça 12%.

Em termos de produção, o Brasil conta, atualmente, com 8 mil produtores de flores e plantas. Juntos, eles cultivam mais 17 mil variedades. E quando se analisa o comércio de flores, existem 20 mil pontos de venda em todo o País e 680 empresas atacadistas. Sendo assim, pode-se dizer que o mercado de flores é uma importante engrenagem na economia brasileira, pois responde por mais de 200 mil empregos diretos, segundo dados do Instituto Brasileiro de Floricultura.

Além das festas de casamento, que ganham destaque em setembro, e das festas de 15 anos, comuns em outubro, a expectativa são as comemorações de formatura, no período de novembro a fevereiro, que voltam com tudo e com turmas ampliadas, já que estiveram 100% suspensas nos dois últimos anos.

Vale destacar, que os eventos e festas têm um peso muito relevante no setor da floricultura que é composto por flores de corte, flores envasadas e plantas ornamentais para decoração, paisagismo e jardinagem. Também se espera uma redução de preços das flores de corte.

Confira a coluna em áudio:

Mirian Gasparin