COLUNAS

Colunistas // Mirian Gasparin

Paraná é um dos estados que conquistou maior número de beneficiários

 Setor de planos de saúde continua crescendo

Foto: Marcello Casal Jr. – Agência Brasil

O setor de planos de assistência médica vem registrando desde o ano passado crescimento contínuo. O ano de 2021 fechou com quase 49 milhões de beneficiários. Em números absolutos essa foi a maior quantidade de beneficiários desde 2016.  E, este ano, o crescimento continua.

Um dado que merece destaque é que, entre todos os estados brasileiros, o Paraná está entre os três que tiveram o maior ganho de beneficiários em números gerais, acompanhado de São Paulo e Minas Gerais.

Eu conversei com o diretor da Paraná Clínicas, Carlos Mortean, e ele me disse que o mercado de saúde suplementar tem características específicas e o que vem se observando é que, nos últimos três anos, as grandes operadoras de planos de saúde estão comprando as empresas menores e com negócios regionais.

Aliás, esse foi o grande motivador da venda da Paraná Clínicas, uma empresa familiar, com 50 anos de atuação em Curitiba, para o maior grupo segurador independente do Brasil, que é o Sulamérica. Segundo Carlos Mortean, a venda da operadora paranaense foi fundamental para a expansão dos negócios. Tão logo a venda foi concretizada, a expansão começou através da região dos Campos Gerais, onde conquistou 26 mil novas vidas, das quais, 16 mil vieram do maior cliente, que é a Klabin.

O diretor da Paraná Clínicas me adiantou que a expansão continua, este ano, com a abertura de unidades em Londrina, Maringá e Cascavel, onde a operadora de saúde está investindo R$ 26 milhões, prevendo o atendimento mensal de 67 mil pessoas nas três cidades.

Eu perguntei ao executivo se está nos planos da Paraná Clínica, através da Sulamérica, absorver novas empresas de saúde de pequeno porte, e ele me disse que essa estratégia não está descartada. Carlos Mortean me explicou que a Sulamérica acredita e investe em modelos de negócios regionais. Na sua avaliação, embora o mercado brasileiro seja bastante complexo, existe espaço para vários tipos de negócios, mas está cada vez mais difícil para as pequenas operadoras de saúde continuarem sobrevivendo de forma independente.

Segundo dados da Agência Nacional de Saúde, o setor vem registrando crescimento desde julho de 2020. A taxa de adesão, ou seja, de entradas, considerando todos os tipos de contratações, vem superando à taxa de cancelamentos nos planos médicos hospitalares.

No caso da Paraná Clínicas, o crescimento está acima da média do mercado do Paraná. De acordo com o diretor da operadora, isso se deve à postura de oferecer produtos com um bom custo-benefício, aliado ao modelo de gestão.

Quando a Sulamérica assumiu o negócio, a Paraná Clínicas tinha 90 mil/vidas. Hoje, sua carteira está com 135 mil vidas e projeta encerrar o ano com 180 mil novos usuários.

Confira abaixo a coluna em áudio:

Mirian Gasparin