PolíticaGeral

STF arquiva investigação contra Ricardo Barros

Decisão da ministra acatou o pedido de arquivamento da apuração feito pela PGR

 STF arquiva investigação contra Ricardo Barros

Foto: divulgação

A ministra do Supremo Tribunal Federal Rosa Weber arquivou, na última sexta-feira (17) a apuração do crime de suposta prática de “advocacia administrativa” que envolvia o deputado federal e líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR). A decisão da ministra acatou o pedido de arquivamento da apuração feito pela Procuradoria Geral da República (PGR) na semana passada. A PGR declarou que não há provas suficientes para a abertura de um inquérito contra Barros porque não existem evidências que comprovem que o deputado tenha beneficiado as empresas citadas na apuração. A acusação que consta no relatório da CPI da Covid afirma que Ricardo Barros teria atuado em favor de empresas privadas durante a pandemia. Um dos casos relatados, o que mais repercutiu recentemente, é o da compra da vacina Covaxin pelo Ministério da Saúde, negócio que não chegou a ser concretizado. O líder do governo na Câmara comemorou a decisão. Ricardo Barros afirmou que todas as pessoas ouvidas na CPI negaram a participação dele nas negociações. O deputado afirmou ainda que a acusação foi puro ativismo político. O deputado publicou em sua conta do twitter que vai manter o processo de abuso de autoridade contra Renan Calheiros e os outros senadores que o acusaram.  

Leia a decisão:

Reportagem: Angela Luvisotto

Angela Luvisotto

Curitiba pode liberar transporte de pets em ônibus

Curitiba pode liberar transporte de pets em ônibus

Projeto permite o acesso a animais de até 15 quilos em caixas

LDO volta a ser aprovada pela Câmara

LDO volta a ser aprovada pela Câmara

Lei traz metas físicas que a Prefeitura promete cumprir em 2023

Projeto da LDO 2023 é aprovado em primeiro turno

Projeto da LDO 2023 é aprovado em primeiro turno

A LDO retorna à pauta, para a votação em segundo turno

Eder Borges reassume cadeira na Câmara de Curitiba

Eder Borges reassume cadeira na Câmara de Curitiba

Parlamentar se disse vítima de injustiça e comemorou o retorno