Suspeitos por assalto a banco de Quatro Barras teriam cometido mais três roubos em outras agências

(Foto: divulgação/Polícia Civil)

Os seis homens presos pela Polícia Civil, acusados pelo roubo a uma agência bancária em Quatro Barras, na Região Metropolitana, são suspeitos de pelo menos mais outros três assaltos a banco na Grande Curitiba. Com a quadrilha, a Polícia encontrou armas, munições e fardas da Polícia Militar do Paraná (PM-PR), que eram usadas nas ações criminosas. Também foram apreendidos carros, drogas e dinheiro.

As prisões foram feitas nos bairros Umbará, Jardim Social e São Francisco, em Curitiba, além da região da Barra do Turvo, na divisa com o Estado de São Paulo. Os suspeitos têm entre 32 e 41 anos e teriam praticado os crimes nos municípios de Araucária, Lapa e Quatro Barras, nos meses de abril, maio e junho. Segundo o delegado Rodrigo Brown, do Centro de Operações Especiais da Polícia Civil, a quadrilha era perigosa e os presos têm antecedentes criminais.

As investigações começaram há cerca de quatro meses.A polícia encontrou o grupo em uma casa no Umbará, onde foram apreendidos cinco carros, seis fuzis e três pistolas, além de outros acessórios usados nos crimes, como miguelitos, coletes a prova de balas e uma máquina de contar dinheiro. Doze quilos de crack e 300 gramas de maconha, além de uma quantia de R$ 2,3 mil também foram encontrados. Segundo o delegado geral da Polícia Civil, Silvio Jacob Rockembach, a prisão foi feita após o trabalho integrado entre as equipes de inteligência das polícias Civil e Militar.

O Secretário de Segurança Pública, Rômulo Marinho acredita que os casos de assaltos a bancos devem diminuir após a prisão do grupo, que era organizado e preparado para esse tipo de crime.

Na última ação, a quadrilha invadiu uma agência do Banco do Brasil em Quatro Barras e chegou a arrombar o cofre do banco. O grupo entrou em confronto com a Polícia Militar, mas conseguiu fugir.Eles foram presos no dia seguinte.

Reportagem: Ana Flavia Silva e Angelo Sfair