COLUNAS

Colunistas // Mirian Gasparin

O país já representa quase metade da receita global da companhia

 Tecnologia está cada vez mais presente nos restaurantes

Foto: Divulgação

A indústria de restaurantes está mudando constantemente, especialmente para atender as expectativas dos clientes. E isso tem feito com que a tecnologia no setor cresça cada vez mais, seja para a gestão de compras, no controle de estoques de alimentos e bebidas, no cardápio digital, no uso de códigos QR Code e nos pagamentos.

Agora para que um restaurante tenha sucesso é fundamental comprar produtos de qualidade e preços justos. E foi de olho no crescimento e nos benefícios do comércio eletrônico, que foi criada uma plataforma de e-commerce completa para atender somente os restaurantes. A loja online que tem de tudo para restaurantes chegou ao Brasil em 2020, ou seja, em plena pandemia, e hoje vive um bom momento.

Eu conversei com o diretor geral da Frubana, o executivo Breno Lopes, e ele me contou que a plataforma de e-commerce para restaurantes da América Latina, apresentou expressivo crescimento no último ano em sua operação brasileira. A startup passou de 3 mil clientes atendidos, em março de 2021, para mais 40 mil, representando um crescimento de 20 vezes na receita da operação. Só em Curitiba, são 5 mil clientes.

Breno Lopes me explicou que a Frubana possui galpões estrategicamente localizados nas dez cidades em que atua, comprando mercadorias de produtores locais e de grandes fornecedores. Com isso, negociam os melhores preços e, por terem tudo em estoque e possuírem tecnologia própria de roteirização, conseguem entregar as mercadorias mais rapidamente aos restaurantes, em uma única entrega, eliminando a necessidade de os restaurantes atuarem com os mais diferentes fornecedores.

Em Curitiba, a empresa tem mais de cem fornecedores e de num galpão localizado em São José dos Pinhais, é feita a logística de entrega dos produtos para os restaurantes. Através do comércio eletrônico da Frubana, os restaurantes curitibanos podem adquirir cerca de mil itens, com preços entre 10% e 15% mais baratos do que os atacadões, e recebem os pedidos em 24 horas.

O executivo me disse que todos os produtos destinados aos restaurantes são comprados pela Frubana diretamente das fazendas, de grandes empresas e no caso de bebidas, diretamente das indústrias.  

Antes de vir para o Brasil, a empresa já estava presente na Colômbia e México. Baseada em tecnologia, a startup de comércio eletrônico utiliza dados de diferentes fontes para prever o comportamento do restaurante e construir uma solução confiável de baixo custo e que ajude a minimizar o desperdício para a cadeia de suprimentos alimentícios. Hoje, o Brasil já é a maior operação da Frubana, com 1.500 funcionários, que expandiu a variedade de produtos com novas categorias, como proteínas, alimentos básicos e produtos embalados e oferece mais de mil itens na plataforma. 

Confira abaixo a coluna em áudio:

Mirian Gasparin