TRF homologa remoção de Bonat para ocupar vaga deixada por Moro na 13.ª Vara Federal

O Conselho Administrativo do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região, em Porto Alegre, homologou por unanimidade na tarde desta sexta-feira (8) a remoção do juiz federal titular Luiz Antonio Bonat da 21.ª para a 13.ª Vara Federal de Curitiba, na vaga deixada pelo hoje ministro da Justiça Sérgio Moro.

O presidente do TRF, desembargador Thompson Flores, deve assinar ainda hoje o ato de remoção. Somente depois que ele for publicado em Diário oficial, Bonat deve assumir a função. Ele é o juiz titular que está há mais tempo na magistratura da região – desde 1994 – e, por isso, ficou em primeiro na lista de candidatos para assumir o cargo.

No total, foram 25 inscritos. Apenas juízes federais da região sul do Brasil puderam se inscrever. O novo juiz vai ficar encarregado de julgar as ações penais da Operação Lava Jato em primeira instância. Enquanto Bonat não assume o posto deixado por Moro, a juíza substituta Gabriela Hardt segue à frente dos processos no Paraná.

Homologada a remoção, a Corregedoria Regional da Justiça Federal da 4.ª Região determina a data da entrada em exercício e publica o ato de remoção do antigo juiz no Diário Eletrônico da Justiça Federal da 4ª Região. Não há prazo para que isso ocorra.

Luiz Antonio Bonat está com 64 anos, nasceu em Curitiba e ingressou na Justiça Federal como servidor no final da década de 70. A partir de 94 assumiu a vaga de juiz federal na 1ª Vara Federal de Foz do Iguaçu depois de passar em concurso público. Ele também foi juiz na 3ª Vara Federal de Curitiba e na 1ª Vara Federal de Criciúma, em Santa Catarina. Atuou ainda no Tribunal Regional Federal da 4ª Região como auxiliar e substituto de desembargadores.

Atualmente, na 21.ª Vara Federal de Curitiba, é responsável por processos na área de Previdência Social. Bonat é especialista em Direito Público, pela Universidade Federal do Paraná, e já foi professor na instituição. É também coautor de livros sobre crimes no comércio exterior.

Reportagem: Lenise Klenk

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*