COLUNAS

Colunistas // Mirian Gasparin

Preço praticado pelas clínicas brasileiras atrai turistas de vários países

 Turismo estético cresce e impulsiona novos negócios

Foto: reprodução

Fatores como segurança hospitalar e custo reduzido têm atraído cada vez mais estrangeiros a virem ao Brasil exclusivamente para realizar cirurgias estéticas e outros procedimentos ligados à beleza. Aliás, o Ministério do Turismo reconhece que os eventos de estética estão impulsionando as viagens de negócios ao nosso país, que ocupa a liderança no setor de turismo estético.

Só para se ter uma ideia do tamanho desse mercado, o guia de turismo médico Pacientes além das Fronteiras, aponta que nada menos do que 24 milhões de pessoas por ano fazem procedimentos estéticos, gastando uma média de US$ 3,4 mil, ou R$ 18 mil. Neste valor estão incluídos os custos médicos, serviços locais, transporte, internação, acomodação e tratamentos estéticos.

Quando se analisa preços, as clínicas de estética brasileiras saem na frente. Por exemplo, um preenchimento labial custa em média, nos Estados Unidos, US$ 1,5 mil, ou o equivalente a R$ 8,1 mil. Já este mesmo procedimento numa clínica de estética brasileira pode ser feito por R$1,5 mil.

E o crescimento do setor tem impulsionado a abertura de novos negócios. O mercado de estética do Brasil é hoje o terceiro maior do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos e da China.

Já quando se analisa especificamente o setor de franquias de estética e beleza, nosso País ocupa a quarta posição global, com um faturamento anual acima de R$ 34 bilhões. O Paraná é o quinto Estado que mais registrou crescimento de franquias de estética e saúde, no ano passado, segundo dados da Associação Brasileira de Franchising e embora os números de 2022 ainda não estejam fechados, a expectativa é que o mercado continua se expandindo.

Confira abaixo a coluna em áudio:

Mirian Gasparin