Beto Richa sanciona lei contra trotes para serviços públicos

A lei que pune quem passar trote telefônico para serviços públicos de emergência foi sancionada pelo governador Beto Richa. Quem fizer uma chamada falsa vai receber multa de R$ 135,78.  A multa dobra em caso de reincidência. O valor deve ser pago pelo responsável pelo número telefônico que fez a chamada. Segundo o chefe do centro de operações policiais militares, major Rui Barroso, o trote prejudica quem realmente precisa de algum tipo de ajuda.

A lei determina que as operadoras de telefonia informem em até 30 dias os dados dos responsáveis pelas linhas que forem identificadas como origem de trote. O valor arrecadado com as multas deve ser repassado ao Fundo Especial de Segurança Pública do Paraná (Funesp). A lei vale para chamadas para remoções médicas, resgates, ocorrências policiais, combate a incêndios e atendimentos a desastres.

Segundo dados da Policia Militar, pelo menos 30 % das ligações para o atendimento de ocorrências policiais, do Siate e do Samu são trotes.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*