Dilma assina liberação de R$ 1 bi para o Metrô de Curitiba

A liberação de um bilhão de reais para as obras do metrô de Curitiba foi assinada hoje pela presidente Dilma Rousseff e pelo prefeito de Curitiba Luciano Ducci hoje em Brasília. O dinheiro será repassado a fundo perdido, sem necessidade de devolução, só quando a obra estiver pronta. O metrô foi incluído no PAC 2 da Mobilidade. Ao todo, o projeto vai custar dois bilhões de 330 reais. Além do dinheiro federal, o estado vai investir 300 milhões e o restante será divido entre o município e a iniciativa privada. A Prefeitura vai fazer uma Parceria Público-Privada para a construção do metrô. Luciano Ducci explica que a empresa vencedora da licitação vai arcar com todos os custos da construção da primeira linha de metrô de Curitiba e só depois vai receber as verbas públicas. Amanhã a Prefeitura deve divulgar as datas das audiências públicas para discutir o projeto e depois será aberta a licitação. A previsão é que as obras comecem até o fim do ano. O metrô deve ficar pronto até o fim de 2016. O custo do metrô de Curitiba subiu oito milhões de reais, desde o anúncio do projeto, feito pela própria Presidente Dilma no ano passado. Segundo o Prefeito, esse tipo de reajuste é comum. A primeira Linha do Metrô de Curitiba, a Linha Azul, vai ligar a Cidade Industrial até a Rua das Flores, no Centro de Curitiba. O trecho terá 14,2 quilômetros de extensão, com 13 estações. Além de Curitiba, outras quatro cidades também foram contempladas com verbas do metrô: Belo Horizonte, Porto Alegre, Salvador e Fortaleza.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*