Ex-tesoureiro do PT-RS é interrogado pelo Juiz Sérgio Moro

O ex-deputado federal do PT do Rio Grande do Sul e ex-tesoureiro do partido, Paulo Ferreira, será interrogado novamente pelo juiz Sérgio Moro na sede da Justiça Federal, em Curitiba.

Ferreira é um dos réus da ação penal da trigésima primeira fase da lava jato, que apura um desvio de mais de R$ 20 milhões nas obras do Centro de Pesquisas e Desenvolvimento da Petrobras, o Cenpes. Ao todo, 14 pessoas respondem a este processo pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e associação criminosa. Além de Ferreira, entre os réus estão ainda o ex-presidente da OAS, Léo Pinheiro e o ex-diretor de Serviços da Petrobras, Renato Duque.

Em depoimentos anteriores prestados à Sergio Moro, ambos chegaram a afirmar que o ex-deputado era a pessoa que cuidava do dinheiro desviado da estatal para o Partido dos Trabalhadores. O próprio ex-tesoureiro do PT também já admitiu que o partido recebeu recursos ilegais para campanhas eleitorais. Esta deve ser a última audiência do processo.

Em alegações finais, o Ministério Público Federal pediu que sete réus que respondem a este processo devolvam à Petrobras 41 milhões e trezentos mil reais. De acordo com o MPF, o valor corresponde ao dobro das propinas pagas pelos investigados em obras do Cenpes.

Nas alegações, os procuradores da força-tarefa da Lava Jato destacaram que os réus são abastados e que ultrapassaram linhas morais sem qualquer tipo de pressão de caráter corporal, social ou psicológico. A denúncia envolve o Consórcio Novo Cenpes – formados pelas empreiteiras OAS, Construbase, Construcap, Schahin e Carioca Engenharia. As empresas teriam pago propinas para vencer a licitação das obras.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*