Fiscais da Receita Federal fazem operação padrão

Já demora até cinco vezes mais o tempo necessário para exportar uma carga pelo porto seco de Foz do Iguaçu, na região oeste do Paraná. Este atraso na liberação de cargas é por causa da operação padrão dos auditores fiscais da Receita Federal, que completa hoje (quinta) quatro dias. De acordo com o presidente regional do sindicato dos auditores, Diego Augusto de Sá, a fiscalização das cargas está mais rigorosa do que o normal.


São três canais de fiscalização de cargas, cada um de uma cor específica: verde, com liberação imediata; e amarela e vermelha com graus diferentes de inspeção. Com a operação padrão, as filas já são grandes na região do porto seco.

Os auditores começaram a operação padrão em protesto pela falta de uma negociação salarial com o governo. Eles pedem um reajuste de 30%.

Esta mobilização é nacional, e está atrasando a liberação de cargas em praticamente todos os setores de exportação do Brasil. A previsão é de que o Governo Federal volte a negociar na próxima semana, após a conferência Rio+20.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*