Motoristas e cobradores entram na Justiça para receber vale salarial atrasado por empresas do transporte

Foto: Adamo Bazani

Foto: Adamo Bazani

Motoristas e cobradores de Curitiba e região denunciaram nesta terça (21) que não receberam o vale salarial – correspondente a 40% do salário. O pagamento do benefício é feito no dia 20 de cada mês, conforme determina a Convenção Coletiva de Trabalho. Por causa do atraso, o Sindimoc, que representa os trabalhadores, entrou com uma ação na Justiça do Trabalho por danos morais coletivos. A categoria pede o pagamento dos valores pendentes sob pena de multa de R$ 1 milhão de reais por dia de atraso para as empresas do transporte coletivo. O valor foi fixado pelo Tribunal Regional do Trabalho na última audiência de conciliação dos trabalhadores com os empresários, quando os vencimentos também estavam atrasados. Segundo o vice-presidente do Sindimoc, Dino César, todas as empresas responsáveis pelo transporte urbano, em Curitiba, atrasaram ou não pagaram o vale de forma integral.

Por enquanto, a categoria ainda não sinaliza com a possibilidade de greve no transporte coletivo.

Em nota, o Setransp – sindicato que representa as empresas do transporte – disse que as operadoras estão com dificuldade para administrar o fluxo de caixa e fazer o pagamento de insumos básicos. As empresas também reclamam que esperam a definição da nova tarifa técnica desde o dia 26 de fevereiro e que, há cinco meses, cumprem as obrigações financeiras sem essa resposta da Urbs. A Prefeitura de Curitiba também se manifestou por meio de nota e disse que, nos últimos dois meses, repassou R$ 17 milhões de reais de forma antecipada para as empresas, justamente para garantir o pagamento de salários. O município diz ainda que a medida atende a dois Termos de Ajustamento de Conduta (TACs) firmados junto ao Ministério Público do Paraná. Com relação à tarifa técnica, a prefeitura informou que o novo valor é negociado entre a Urbs e o Setransp. No momento, o órgão aguarda o envio pelas empresas de uma contraproposta acompanhada por uma justificativa de custos e formação de preços.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*