Movimentos sociais realizam atos em Curitiba para apoiar Lula

Foto: Divulgação / Partidos dos Trabalhadores

Foto: Divulgação / Partidos dos Trabalhadores

Com um esquema de segurança reforçado, a capital paranaense foi palco de manifestações nesta quarta-feira, enquanto o juiz Sérgio Moro, responsável pela Lava Jato, interrogava o ex-presidente Lula, réu em um processo da operação. Entidades como MST, CUT, movimentos sociais e partidos de esquerda reuniram milhares de pessoas em um acampamento ao lado da rodoviária. No Museu Oscar Niemeyer, se concentraram cerca de cem pessoas em apoio a lava jato.

A manifestação em defesa de Lula deixou o acampamento no final da manhã de ontem e seguiu em passeata até a Praça Santos Andrade. Com gritos de apoio ao ex-presidente, cerca de seis mil pessoas, segundo a Polícia Militar, aguardaram mais de oito horas a chegada do petista. A organização do protesto calculou cerca de 50 mil manifestantes.

Parlamentares do PT e de outros partidos de esquerda, líderes sindicais e outros aliados do petista compareceram ao ato. Réu no mesmo processo que lula, o antigo presidente do Instituto que leva o nome dele, Paulo Okamotto, negou todas as acusações.

Por volta das sete e meia da noite, Lula subiu ao palco, cercado por aliados e abraçado a antecessora Dilma Rousseff.

O comício foi marcado pelo agradecimento de lula aos militantes.

O petista prometeu retornar a Curitiba para novos depoimentos, se convocado. Ele também garantiu que nunca cometeu nenhum crime, momento em que se emocionou.

O protesto na Praça Santos Andrade terminou sem qualquer confronto entre manifestantes e policiais. No começo da madrugada de ontem, rojões foram disparados contra o acampamento do MST, deixando duas pessoas feridas.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*