Municípios podem parar o transporte escolar da rede estadual

A diretoria da Associação dos Municípios do Paraná reúne os presidentes das 18 associações regionais de municípios do Paraná na próxima quarta-feira, em Curitiba. Em pauta, a discussão de assuntos importantes como a possibilidade de paralisação do transporte escolar dos alunos da rede estadual de ensino e de ingresso de uma ação judicial contra o governo do Estado para exigir o repasse integral dos valores gastos pelas prefeituras com o serviço. De acordo com o presidente da Associação, o prefeito de Piraquara Gabriel Samaha, conhecido como Gabão, os municípios não podem continuar pagando uma conta que é do Estado.

Dois municípios paranaenses já deixaram de atender o transporte escolar dos alunos da rede pública do Estado: Irati, que gasta anualmente dois milhões de reais com o transporte estadual e recebe um quarto: 500 mil reais; e Foz do Iguaçu, que gasta 3 milhões de reais e recebe 400 mil. Gabão diz que a questão é urgente e não tem mais como esperar.

Ao todo, o serviço de transporte de alunos da rede estadual custa para os municípios paranaenses 120 milhões. Mas a Secretaria de Educação repassa 58 milhões aos prefeitos. A reportagem da BandNews ligou para a assessoria de imprensa da secretaria e aguarda retorno para saber se estes valores poderão ser corrigidos, segundo solicitação dos prefeitos paranaenses, mas ainda não recebeu retorno.

 

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*