Obras no Contorno Sul só saem em 2013

Os buracos no Contorno Sul de Curitiba são motivo de muita reclamação de quem precisa passar pelo local todos os dias. No trecho mais crítico que tem cerca de sete quilômetros e meio, desde a BR 277 em direção ao Pinheirinho, é preciso trafegar com cuidado para desviar das irregularidades na pista. O engenheiro Carlos Moreti reclama que teve um prejuízo de três mil reais por causa do asfalto no Contorno. Ele teve que trocar a roda do carro dele duas vezes, além do amortecedor que ficaram danificados por causa dos buracos.

O analista de comércio exterior Marcel Ribeiro vive o mesmo problema. Ele diz que é impossível passar pelo Contorno Sul todos os dias e que a operação tapa buraco deixou a pista ainda mais irregular.

Como o Contorno Sul é a rodovia federal, a responsabilidade por reformas do local é do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte, o Dnit. Segundo a assessoria de imprensa, uma operação tapa-buraco começou na sexta-feira, mas teve que ser interrompida por causa da chuva. Hoje os operários devem voltar ao local. Neste ano, o Dnit prevê fazer obras de pavimentação no trecho mais crítico, de sete quilômetros de meio. A reforma completa, em toda a rodovia que tem 14 quilômetros, deve ser feita somente no ano que vem, já que o projeto executivo ainda é elaborado. Enquanto a situação não melhora, o Dnit orienta os motoristas a trafegarem com cuidado. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, só neste ano foram registrados 113 acidentes no Contorno Sul, de janeiro a abril. Seis pessoas morreram e 44 ficaram feridas. No ano passado, foram três mortes e 41 vítimas, no mesmo período.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*