Palestrante do Pint of Science em Curitiba diz que estamos vivendo a era da “cyber guerra”

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Espionagem, hackers e falta de privacidade no mundo digital foram temas da palestra que aconteceu ontem à noite,  no Bar Trapista, durante o evento Paint Of Science. André Grégio, Professor Adjunto no Departamento de Informática da UFPR, ministrou a palestra que atingiu o limite de pessoas da casa. Com várias dicas para que as pessoas fiquem mais seguras e menos expostas virtualmente, André tocou em temas polêmicos como o caso Snowden e explicou que a privacidade vai muito além da internet. Para ele, o que é jogado no lixo sem o devido cuidado também diz muito sobre a vida da pessoa, como a fatura de um cartão de crédito, por exemplo.

No evento, assuntos como ataques pela webcam mesmo sem o usuário ter ligado o aparelho, direitos dos usuários e roubo de dados também foram citados. André comenta que estamos vivendo um outro tipo de confronto atualmente: a cyber guerra.

O professor fala sobre a espionagem entre os países em serviços secretos e, segundo ele, se um país sabe seus segredos, identifica suas vulnerabilidades. O público também ouviu sobre a dificuldade em identificar um roubo de informações em grandes invasões hackers, porque os dados não são roubados de fato, são apenas copiados e transferidos.

Com toques irônicos e bom humor, a palestra se seguiu com alertas ao público sobre o perigo do hábito moderno de ter os aparelhos domésticos conectados à internet, aumentando a possibilidade de espionagem. André alerta: “Assim como não percebemos o que jogamos no lixo, também não reparamos que, às vezes, o inimigo está dentro de nossa própria casa e é justamente a nossa falta de preocupação”. Ele questiona até onde o governo tem o poder de investigar alguém sem que essa pessoa tenha sido acusada de algo, como em casos de “políticas pré-crime”.

Três bares curitibanos foram palco do Pint of Science, que começou na segunda (15) e se encerrou ontem, quarta-feira (17), após nove palestras sobre conteúdos relacionados à ciência aplicados ao cotidiano e atualidade. O festival de divulgação científica aconteceu simultaneamente em nove países e esteve pela primeira vez em Curitiba. Cientistas falaram sobre temas como nanotecnologia, surgimento do universo, DNA, células tronco e física quântica. No ano que vem, segundo os organizadores do evento, Curitiba deve ser uma das sedes no Brasil novamente, devido a grande aceitação pelo festival.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*