Sindicato de motoristas e cobradores não descarta greve para pressionar negociação

(Foto: Luiz Costa/SMCS)

Em negociação salarial, motoristas e cobradores de ônibus não descartam entrar em greve para pressionar os patrões. A categoria pede 10% de reajuste no pagamento e também aumento no auxílio-alimentação, de R$ 575 para R$ 977, equiparando o valor ao recebido pelos funcionários da Urbs.

Os funcionários também reivindicam mudanças na jornada de trabalho. Em um vídeo direcionado aos funcionários do transporte público, o presidente do Sindimoc, Anderson Teixeira, diz que, até agora, não houve acerto com o sindicato patronal.

A contraproposta do Setransp é o reajuste do INPC dos últimos doze meses – o que não foi aceito pelos funcionários. A primeira audiência de conciliação no TRT (Tribunal Regional do Trabalho) está marcada para o dia 12 de abril.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*