Sobreviventes de grave acidente no interior do Paraná começam a ter alta médica

(Foto: divulgação/PRF)

Oito feridos no acidente entre um ônibus e dois carros na madrugada do último sábado (5) que estavam internados em hospitais de Francisco Beltrão, no sudoeste paranaense, já tiveram alta e voltaram para casa. Outros quatro, no entanto, continuam hospitalizados – um deles em estado grave na UTI. Há também mais quatro vítimas internadas em Guarapuava, na região central, mas elas não correm risco de morte e passam bem.

As informações são da Secretaria de Estado da Saúde e foram divulgadas hoje de manhã. Ao todo, 30 pessoas se machucaram, mas 14 foram liberadas após avaliação médica, ou seja, não precisaram ser hospitalizadas. Além delas, nove morreram: oito no local, sendo sete passageiros do ônibus e um ocupante do carro que bateu de frente no coletivo, e o nono óbito foi do motorista do automóvel, enquanto era levado de Candói, no centro-sul do estado, para Guarapuava.

Por enquanto, a principal hipótese levantada pela Polícia Rodoviária Federal para a causa do desastre é uma ultrapassagem proibida. Mas um terceiro veículo, que foi abandonado em uma plantação a cerca de 700 metros do local da colisão, também está envolvido. Os ocupantes fugiram e ainda não foram localizados pelas autoridades.

O acidente foi na BR-373, perto de Candói. Com o choque, o ônibus tombou na pista. Em nota, a Secretaria de Estado da Saúde se manifestou no fim de semana sobre a tragédia. Segundo o órgão, o coletivo havia sido fretado pela Associação Regional de Saúde do Sudoeste, que é um consórcio de municípios, e retornava de Curitiba para Realeza, ainda no sudoeste, com 43 passageiros. Eram pacientes e acompanhantes que voltavam para casa após tratamento médico na capital.

O secretário estadual de Saúde, Antônio Carlos Nardi, lamentou o desastre. Também em nota, a Associação Regional de Saúde do Sudoeste afirmou que toda a população do sudoeste paranaense está de luto e que acompanha a situação. A entidade externou condolências às famílias das vítimas e se colocou à disposição para todo o apoio necessário.

De acordo com o Instituto Médico-Legal de Guarapuava, morreram Honorato Fragata Neto, Lizonete de Fátima Freitas, Salete Barbosa, Claudemira Rodrigues, Marzineli Campestrini Mascerello, Roseli Aparecida Pasa Dagostini, Ivo Gonçalves de Freitas, Marcelo de Oliveira Brasil e Adilson de Oliveira Querino. Os corpos foram sepultados em pelo menos três cidades do sudoeste do Paraná: Nova Prata do Iguaçu, Salto do Lontra e São Jorge do Oeste.

(Vídeo: divulgação/PRF)

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*