Delegacias do Paraná abrigam mais de 30 % dos presos

(Foto: Divulgação)

Mais de 30% dos presos no Paraná estão, de maneira irregular, em delegacias ou distritos. O levantamento, do Ministério Público estadual, aponta que, das 29.032 pessoas custodiadas pelo estado, 9.711 estão em delegacias – sendo que a capacidade nestes locais seria de, no máximo, 4.370 pessoas.

Por isso, o órgão pretende estabelecer um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o governo para esvaziar as carceragens gradativamente. O documento já foi entregue ao governador. É o que relata o promotor de Justiça, André Glitz.

A expectativa do procurador-geral do Paraná é de que o termo seja assinado em até 30 dias. Ainda de acordo com o MP, a situação mais grave é a do 8º Distrito Policial, no bairro Portão, em Curitiba. A cela da delegacia foi feita para receber dois presos, mas está com 52 homens.

Apesar disso, o governo diz que desconhece os termos da proposta do MP. A Secretaria da Segurança Pública diz que obras de construção e ampliação de penitenciárias estão em andamento para abrir 7 mil vagas no sistema. Por meio de nota, o órgão diz que, até o fim do ano, serão abertas 598 vagas com o término da ampliação da Cadeia de Campo Mourão e do Centro de Integração Social de Piraquara.

Até o meio de 2018, mais 2,4 mil novas vagas e as 7 mil, prometidas com as obras, devem ser liberadas até o fim do ano que vem. A SESP diz, ainda, que “com a conclusão das 14 obras, e a maior utilização das tornozeleiras eletrônicas, a pasta vai retirar todos os presos custodiados nas delegacias”.