CuritibaGeral

Empresário suspeito de espancar jovem é investigado por outras agressões

Empresário é suspeito de espancar até a morte um jovem. No estabelecimento foram apreendidos bastões

 Empresário suspeito de espancar jovem é investigado por outras agressões

Imagem: PCPR

O dono de um bar, suspeito de espancar até a morte o jovem Vinícius de Souza, em Curitiba, é investigado por outras agressões e intimidações a clientes.

Segundo a Polícia Civil, testemunhas denunciam que Emerson Motta foi violento em outras oportunidades, inclusive, com o uso de armas brancas, como tacos de beisebol.

Veja mais:

O empresário foi preso preventivamente neste final de semana. O delegado responsável pelas investigações, Silas Roque, conta que materiais apreendidos na casa e no bar de Emerson confirmam as suspeitas.

Vídeo: PCPR

O empresário é o segundo suspeito de agredir Vinícius Souza, no último dia 21, no estacionamento do bar que fica no bairro Xaxim. A vítima teve a morte cerebral confirmada na última quinta-feira (23), após ficar dois dias internado no Hospital Cajuru.

O outro de suspeito de participar das agressões, o cantor Wendel Lemos, de 33 anos, que se apresentava no estabelecimento chegou  a ser preso na última semana, porém, foi liberado após decisão judicial. Segundo o delegado, apesar dos indícios de envolvimento do músico, a participação do dono do bar é apontada como principal na potencialização das agressões.

Segundo o delegado, duas versões sobre a briga foram registradas em boletim de ocorrência. Na primeira, os primos da vítima relataram que eles viram uma briga de casal no lado de fora do bar e tentaram intervir.

Neste momento, Wendel teria dado um soco na vítima. Já o principal suspeito pela agressão afirma que foi agredido pelas costas durante a discussão com a namorada. O cantor alega que viu a vítima se aproximando com uma garrafa e deu uma cotovelada nela. A reportagem tenta contato com a defesa de Emerson Motta.

Informações: Leonardo Gomes

Avatar

Jessica de Holanda

Homem é preso acusado de produzir e compartilhar pornografia infantil

Homem é preso acusado de produzir e compartilhar pornografia infantil

A polícia foi acionada pelo WhatsApp, que percebeu a atitude suspeita do usuário

Delegada é investigada por trabalhar de forma remota no exterior

Delegada é investigada por trabalhar de forma remota no exterior

A servidora assinava documentos e exercia demais atribuições morando fora do país

Catedral de Paranaguá faz campanha para pedir fotos antigas

Catedral de Paranaguá faz campanha para pedir fotos antigas

Campanha faz parte do Projeto Marco Zero que é um plano arquitetônico de restauro