Em 10 dias, Bombeiros são acionados mais de 50 vezes para lidar com insetos e ataques de abelhas

Os Bombeiros já foram acionados 54 vezes neste ano para capturar ou remover insetos no Paraná. Os dados constam no Sistema de Registro de Ocorrências e Estatísticas da corporação. A maioria dos casos envolve ataques de abelhas – em média, são mais de quatro registros por dia. A cidade de Irati lidera a estatística, com oito acionamentos, seguida por Curitiba, com cinco.

Foi na capital paranaense o caso de ataque de abelhas com maior número de vítimas. Isso aconteceu logo no segundo dia do ano, em uma estação-tubo do bairro Portão. Somente nesta situação foram cinco pessoas, com idades entre 20 e 66 anos, atendidas pelos bombeiros e levadas a hospitais para tratar as picadas.

Historicamente, os registros de acidentes com abelhas aumentam durante o verão. É a época de migração dos insetos, que se reproduzem na estação anterior, a primavera. A maioria dos acidentes é provocado pelas próprias vítimas, que de forma consciente, ou não, acabam provocando o enxame e desencadeando uma ação de defesa.

A orientação ao observar o acúmulo de abelhas ou a formação de uma colmeia em local perigoso é chamar os bombeiros imediatamente. Ou deixar o trabalho para um apicultor especializado, com roupas e equipamentos apropriados.

Ataques de abelhas são perigosos e podem até levar à morte. Pessoas alérgicas ou com maior sensibilidade ao veneno das abelhas podem até entrar em choque anafilático, com risco de obstrução das vias respiratórias.

Reportagem: Angelo Sfair