Em Curitiba, Marina Silva diz que “cultura do ódio vem sendo estimulada” na política brasileira

 

Candidata à presidência da República, a ex-ministra Marina Silva, da REDE, falou em Curitiba neste domingo (23) sobre o crescimento da candidatura de Flávio Arns, que disputa o Senado pelo partido no Paraná. Também comentou a impressão de parte do eleitorado quanto à atuação política dela fora do período eleitoral e sobre o momento da política brasileira em relação à “cultura do ódio”.

A candidata reafirmou as propostas que tem para saúde, educação e combate à corrupção. Marina Silva disse que é possível investir mais nas áreas essenciais redistribuindo prioridades e combatendo a corrupção.

A candidata rebateu críticas e disse que é mentira o comentário de que “só aparece durante as eleições”. Segundo ela, isso faz parte de uma campanha de desconstrução da imagem dela que começou em 2014.

No Paraná, Marina pediu que os eleitores escolham os candidatos da REDE ao Senado. Ela defendeu em especial o ex-senador Flavio Arns, candidato ao Senado, dizendo que ele é ficha limpa. Segundo Marina, Arns tem demonstrado condições de ficar com uma das duas vagas disponíveis no Senado nas eleições deste ano, principalmente após as investigações mais recentes contra ex-governador Beto Richa, do PSDB.

Depois de passar pela Feira do Largo da Ordem, durante a manhã, Marina, acompanhada do vice na chapa, Eduardo Jorge (PV), encontrou com correligionário no Museu Oscar Niemeyer, no Centro Cívico. Depois, visitaram a Pastoral da Criança. A presidenciável também estava acompanhada do candidato da Rede ao governo do Paraná, Jorge Bernardi.

Reportagem: Narley Resende

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*