Família de cobrador esfaqueado em assalto tem carro levado por bandidos

(Foto: Divulgação / Prefeitura de Curitiba)

Depois de ter sido esfaqueado durante um assalto no ônibus em que trabalha, o cobrador Jhonatan Martins diz se preparar psicologicamente para as próximas ocorrências. O trabalhador foi ferido no último sábado (19) à noite, na linha Campo Largo/Curitiba.

O caso aconteceu na BR-277, bairro Mossunguê. Agora, Jhonatan diz que, caso seja vítima mais uma vez, vai agir com mais cautela e manter distância do assaltante. Isso porque, no assalto ele chegou a segurar o braço do criminoso ao ser abordado.

Ferido nas costas e no peito, ele foi encaminhado ao hospital. Ao receber alta, mais uma infeliz surpresa. O primo dele, que foi buscar Jhonatan no hospital, teve o carro furtado em frente ao Pronto-Socorro do Evangélico. O veículo não tinha seguro e até agora não foi encontrado.

O homem que esfaqueou o cobrador ainda não foi localizado. São, pelo menos, cinco casos recentes de crimes semelhantes no transporte público coletivo de Curitiba e região. No dia 22 de julho, um motorista foi morto a tiros durante um arrastão em um ônibus em Colombo. Na noite de 26 de julho, um cobrador foi baleado na estação-tubo Antônio Cavalheiros, bairro Cabral.

No último dia 3, um suspeito de tentar assaltar um ônibus ficou ferido após trocar tiros com um policial militar de folga. No dia 5, outro motorista foi ferido a golpes de faca na linha Curitiba/Piraquara, na Rodovia João Leopoldo Jacomel. Por causa disso, a categoria pede câmeras de segurança em todos os ônibus do transporte coletivo da capital.