Justiça nega pedido do MP e mantém as obras da Praça do Japão

(Foto: Daniel Castellano/ SMCS)

As obras na Praça do Japão, para implantação do Ligeirão Norte-Sul, devem ser finalizadas ainda neste mês. A Justiça negou o pedido de embargo, feito pelo Ministério Público. Com isso, a prefeitura anunciou que vai dar continuidade às obras na linha entre o terminal do Santa Cândida e o tubo da estação Bento Viana.

No entendimento da juíza Patrícia Bergonese, o município atendeu ‘as formalidades legais’ para que as obras sejam mantidas. E, ainda segundo a juíza, a paralisação dos trabalhos ‘poderia ocasionar prejuízos, não somente ao projeto, mas também aos cofres públicos, pois já foram investidos mais de R$ 16 milhões na obra’. É o que explica a procuradora-geral do município, Vanessa Volpi.

Na ação civil, o Ministério Público pedia a suspensão das atividades, para que o projeto fosse divulgado e discutido novamente com a comunidade. Moradores do Batel reclamam de mudanças no entorno da Praça do Japão para que os biarticulados possam fazer um retorno.

A prefeitura garante que as obras não alteram a estrutura da praça. Segundo o município, houve apenas a mudança de local da feirinha orgânica e uma correção geométrica num trecho de cerca de 30 metros entre a praça e a Avenida República Argentina, por onde vão circular os ônibus.

A nova linha deve entrar em funcionamento até o fim do mês, com 25 biarticulados. Por dia, cerca de 36 mil passageiros devem circular pelo trecho. Segundo a prefeitura, o tempo necessário para o trajeto entre o Santa Cândida até a estação Bento Viana (a cerca de 230 metros da praça) será reduzido pela metade (dos atuais 40 para 20 minutos). O Ligeirão vai parar apenas em terminais e estações de grande fluxo.