Mais de 4 mil estrangeiros são atendidos em escolas públicas do Paraná

Foto: divulgação/SEED

Mais de quatro mil estudantes estrangeiros migrantes, refugiados ou apátridas, de 76 nacionalidades, estão matriculados nas escolas estaduais do Paraná. Eles são atendidos no ensino regular, na educação de jovens e adultos e nos cursos de português para falantes de outras línguas.

De acordo com a representante da Secretaria de Estado da Educação no Conselho Estadual dos Direitos dos Refugiados, Joice Barbaresco, o domínio do idioma é o curso mais procurado.

Em 2015, a família de Daniel Al Saad, de 11 anos, deixou a cidade de Damasco, na Síria, fugindo da guerra civil, e vieram ao Brasil em busca de um recomeço. Ele afirma que a atenção dos professores diante da dificuldade para entender foi fundamental no aprendizado.

O acesso à educação em todos os níveis e modalidades de ensino é garantido aos estudantes estrangeiros de acordo com o Plano Estadual de Educação. O aluno migrante que chega ao Paraná sem nenhum documento que comprove a escolaridade, mas quer estudar, tem três maneiras de ingressar no ensino regular, como comprovar que consegue se expressar e se comunicar em português. O curso é aberto à comunidade e pode ser feito por toda a família.

Segundo a coordenadora da Educação de Jovens e Adultos da Secretaria da Educação, Marcia Dudeque, todos os certificados estrangeiros também são analisados.

Só nos três primeiros meses deste ano, 1.068 pessoas foram atendidas no Centro de Informação para Migrantes, Refugiados e Apátridas do Paraná, com orientação e acesso às diversas políticas públicas do Estado.

Reportagem: Lorena Pelanda