ParanáEconomia

Material escolar está até 9% mais caro

Esta é a estimativa de Associação Brasileira de Fabricantes de Artigos Escolares

 Material escolar está até 9% mais caro

Foto ilustrativa/Freepik

O material escolar está de 7 a 9% mais caro neste ano letivo. É isso que aponta o levantamento da Associação Brasileira de Fabricantes de Artigos Escolares, para os itens da lista de 2024. Por meio do site Menor Preço, que opera em parceria com a Secretaria de Estado da Fazenda, o valor dos cadernos, por exemplo, varia de R$ 1,00 a R$ 116,00, em Curitiba e região.

O especialista em Comportamento do Consumidor e Planejamento Estratégico do UniCuritiba, Sérgio Czajkowski Júnior, recomenda que os pais não levem os filhos às compras.

A plataforma Menor Preço está disponível em todo o Paraná. Ela aponta quais lojas têm os produtos mais em conta, a partir das compras em que os consumidores colocam o CPF na nota. O especialista defende que, ao explicar o orçamento para uma criança, os pais colocam a educação financeira na prática.

Veja mais:

O Procon-PR alerta que as escolas não podem determinar a marca dos produtos e também não podem pedir itens de uso coletivo, como papel higiênico, material de limpeza, tinta para impressora, entre outros.

Reportagem: Larissa Biscaia

Avatar

Izabella Machado

Estrutura de armazenamento pega fogo no Porto de Paranaguá

Estrutura de armazenamento pega fogo no Porto de Paranaguá

De acordo com o Corpo de Bombeiros, ninguém ficou ferido

Censo 2022: acesso a saneamento básico cresce no Paraná

Censo 2022: acesso a saneamento básico cresce no Paraná

Entretanto, mais de 3 milhões de pessoas não têm acesso à rede de esgoto

Vestibular de inverno da UTFPR abre inscrições nesta segunda-feira

Vestibular de inverno da UTFPR abre inscrições nesta segunda-feira

São ofertadas mais de 4 mil vagas em 106 cursos da instituição

Inscrições para curso técnico do Senai-PR terminam nesta sexta

Inscrições para curso técnico do Senai-PR terminam nesta sexta

As oportunidades são destinadas a estudantes da rede pública