ParanáGeral

Municípios do litoral registram maior volume de chuva do estado

O volume foi 74% acima da média, que é de 388 milímetros para o período

 Municípios do litoral registram maior volume de chuva do estado

Foto: Freepik

Guaratuba, no litoral do Paraná, registrou 685 milímetros de chuva em janeiro de 2024. O volume foi 74% acima da média, que é de 388 milímetros para o período. Os dados são do Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar) e foram divulgados nesta segunda-feira (5).

De acordo com o Simepar, o litoral do estado recebeu bastante pancadas de chuvas devido a dois fatores: temperaturas elevadas e entrada de umidade vinda do oceano. Na região, o segundo maior volume do mês foi registrado em Guaraqueçaba, com 634 milímetros.

Depois vieram Antonina (581 mm) e Paranaguá (552 mm). Em Guarapuava, no centro-sul do estado, foram 473 milímetros de chuva. O volume foi 21% acima da média (388 mm). E em Pinhão, também no centro-sul, choveu 273 milímetros, ou seja, 22% acima da média (170 mm).

Veja mais:

Segundo o Simepar, a chuva nesses municípios está ligada à questão de relevo da região. Em Curitiba, choveu apenas 2% acima da média (182 mm). Em janeiro a capital registrou 186 milímetros. As cidades com menor volume de chuva foram Paranavaí (17 mm), Foz do Iguaçu (36 mm) e Toledo (60 mm).

Informação: Vanessa Fontanella

Avatar

Giovanna Retcheski

UFPR é eleita sexta melhor universidade do país

UFPR é eleita sexta melhor universidade do país

O Times Higher Education World University Rankings 2024 coloca a UFPR em 6º lugar no

Tempo segue abafado e instável no Paraná

Tempo segue abafado e instável no Paraná

A massa de ar aquecida e úmida segue presente sobre o Paraná neste sábado (24).

Estrutura de armazenamento pega fogo no Porto de Paranaguá

Estrutura de armazenamento pega fogo no Porto de Paranaguá

De acordo com o Corpo de Bombeiros, ninguém ficou ferido

Censo 2022: acesso a saneamento básico cresce no Paraná

Censo 2022: acesso a saneamento básico cresce no Paraná

Entretanto, mais de 3 milhões de pessoas não têm acesso à rede de esgoto