CuritibaGeral

Ocorrências com aranha-marrom crescem no verão

Curitiba tem em média dois acidentes por dia

 Ocorrências com aranha-marrom crescem no verão

Foto: Venilton Kuchler/Arquivo SESA

Curitiba tem dois acidentes com aranhas-marrons por dia. Esta foi a média do ano passado, com 708 casos de janeiro a novembro, segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde. O calor e a umidade são propícios para o surgimento do aracnídeo. De acordo com a infectologista da pasta, Marion Burger, o risco aumenta com a chegada dos meses mais quentes do ano. Ela lembra que as lagartixas são aliadas no combate aos aracnídeos.

Veja mais:

Cerca de 85% dos acidentes são leves e podem ser tratados com antialérgicos ou corticoides. Em casos mais graves, é necessário o tratamento com soro. A aranha-marrom mede de três a quatro centímetros, com pernas longas e finas. Ela habita lugares escuros, quentes e secos, como armários, atrás de quadros, telhas, sapatos, caixas, entre outros. A orientação é lavar o ferimento e buscar uma unidade de saúde imediatamente ao perceber a picada. Os sintomas costumam aparecer seis horas após o acidente, com ardência, inchaço e vermelhidão.

Ao ser ferido por uma aranha-marrom não se pode espremer a lesão. Além disso, é preciso evitar as atividades físicas, a exposição ao sol e os banhos quentes. Remédios caseiros podem infeccionar o ferimento.

Reportagem: Larissa Biscaia

Avatar

Izabella Machado

<strong>Motorista que atropelou casal prestou depoimento e foi liberado</strong>

Motorista que atropelou casal prestou depoimento e foi liberado

O caso aconteceu na madrugada do último sábado (17), na CIC

Hospital Pequeno Príncipe promove evento sobre doenças raras

Hospital Pequeno Príncipe promove evento sobre doenças raras

Voltado para profissionais da saúde, a ação aborda a importância do diagnóstico correto

Fundação Cultural de Curitiba tem atrações de graça

Fundação Cultural de Curitiba tem atrações de graça

Exibição de filmes, peças de teatro e rodas de leitura acontecem