CuritibaGeral

Paulo Opuszka posta vídeo nas redes, mas continua desaparecido

O professor de Direito da UFPR está desaparecido desde a última segunda-feira (30)

 Paulo Opuszka posta vídeo nas redes, mas continua desaparecido

Foto: reprodução

Apesar de postar um vídeo nas redes sociais, o advogado Paulo Opuszka, de 46 anos, ainda é considerado desaparecido. De acordo com a Polícia, agentes foram até o local citado pelo advogado no vídeo, mas ele não está mais lá. 

No vídeo publicado no perfil de Opuszka no final da manhã desta quarta-feira (01) ele diz que está bem.


Logo em seguida a esposa dele, Tuany Opuszka, posta nas redes sociais um outro vídeo em que confirma que o marido continua desaparecido.


A polícia vai analisar as câmeras de monitoramento, no centro de Curitiba, para continuar a investigação. O professor de Direito da UFPR está desaparecido desde a última segunda-feira (30). O perfil oficial da universidade chegou a compartilhar o desaparecimento dele. De acordo a delegada da Polícia Civil, Iara Laurek Dechiche ele foi visto pela última vez na Rua Emiliano Perneta, no centro da capital. 

Opuszka saiu de casa em um carro de aplicativo. Segundo a família, a última mensagem que ele enviou à esposa dele foi às 9h59 da manhã, “falando sobre amenidades, coisas de casa e do cachorro” deles. Logo em seguida, às 10 horas a viagem encerrou no aplicativo e ele não foi mais localizado. A polícia já ouviu o motorista do aplicativo e foi descartada a possibilidade do envolvimento dele no sumiço do professor.

Com base no depoimento de familiares e amigos a delegada afirma que Opuszka não tinha problema com nenhuma pessoa.

Quem tiver informações pode procurar a polícia pelo telefone 41-3883-7155 ou pelo 0800 643 11 21.

Reportagem: Francine Lopes

Avatar

Francine Lopes

Homem é preso acusado de produzir e compartilhar pornografia infantil

Homem é preso acusado de produzir e compartilhar pornografia infantil

A polícia foi acionada pelo WhatsApp, que percebeu a atitude suspeita do usuário

Delegada é investigada por trabalhar de forma remota no exterior

Delegada é investigada por trabalhar de forma remota no exterior

A servidora assinava documentos e exercia demais atribuições morando fora do país

Catedral de Paranaguá faz campanha para pedir fotos antigas

Catedral de Paranaguá faz campanha para pedir fotos antigas

Campanha faz parte do Projeto Marco Zero que é um plano arquitetônico de restauro