Prefeitura assina contrato para início das obras na trincheira da Mário Tourinho

Foto: Daniel Castellano/SMCS

Os bloqueios no entorno do cruzamento da Avenida Nossa Senhora Aparecida com a Mário Tourinho, no bairro Seminário, devem começar somente em outubro. As obras para a construção de uma trincheira estavam previstas para iniciar nesta quarta-feira, mas, de acordo com a Prefeitura, a assinatura do contrato com o consórcio vencedor foi realizada só agora.

Nos próximos dias, a empresa responsável vai fazer a demarcação da área da obra e também sinalizar os caminhos alternativos. 39 propriedades da Rua Mário Tourinho serão atingidas. Antes do início da construção da trincheira, que vai exigir bloqueios de ruas, a Secretaria de Obras Públicas fará as correções geométricas necessárias na rotatória da Praça Pedro Gasparello, perto do local das obras, na região do Jardim Los Angeles, no Seminário.

O local também é conhecido como Fonte de Jerusalém. A trincheira deve facilitar a ligação da região central de Curitiba com o Campo Comprido, no sentido leste-oeste, e da região do Portão com a BR-277, no itinerário norte-sul. Oito linhas do transporte coletivo também devem ter mais fluidez. Mais de 60 mil veículos passam diariamente pelo cruzamento, contando apenas os horários de pico. De acordo com o engenheiro da Unidade de Gerenciamento do Programa PAC Mobilidade do Ippuc, Márcio Augusto de Toledo, alguns comerciantes serão atingidos por pelo menos dez meses.

O trânsito na Avenida Mario Tourinho, sentido Barigui-Portão, não deve mudar e haverá uma pista liberada. Já no sentido contrário, haverá interdição total. A superintendente de Trânsito, Rosângela Baptistela, afirma que o trecho ficará bloqueado por 180 dias e os motoristas devem procurar desvios para evitar congestionamentos.

Os ônibus do transporte coletivo que passam pelo local também vão desviar o trajeto. Alguns pontos provisórios devem ser instalados no trecho da obra. De acordo com a Prefeitura, serão gastos 12 milhões e quatrocentos mil reais. Os recursos são do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC) do Orçamento Geral da União (OGU).

Reportagem: Lorena Pelanda

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*