Projeto leva arte às crianças internadas no Hospital Pequeno Príncipe

(Foto: divulgação/ Lucas Amorim)

É assim, com cantigas cheias de significado, que o grupo do projeto Pipocas de Histórias adentra cada leito do Hospital Pequeno Príncipe em Curitiba e enche o espaço de amor e esperança. Os atores contam histórias voltadas ao público infantil com música e levam os pequenos pacientes a um mundo onde a doença não impede que a alegria seja extravasada. A iniciativa está na quarta edição. Serão um total de 48 apresentações que se encerram no início do mês de maio.

O coordenador do projeto, Luiz Teixeira, explica que as ações ocorrem todas as quintas-feiras, de manhã e à tarde, e levam as fábulas populares aos pacientes e aos familiares acompanhantes.

As atividades lúdicas contribuem para despertar, valorizar e exercitar o imaginário infantil. A arte abre a possibilidade para que as crianças enxerguem as circunstâncias difíceis de uma forma mais leve.

O projeto Pipocas de Histórias acontece desde o final de 2018 no Hospital Pequeno Príncipe. Mais de 800 pessoas, entre pacientes e acompanhantes, assistiram as encenações. A Eloá, de apenas 7 anos, faz parte desse público. Ela é do interior do Estado e está em Curitiba para fazer um cateterismo. A pequena se diverte com os atores e até esquece que está num hospital.

Para os familiares que acompanham os pacientes a interação com os artistas alivia um pouco a angústia da espera por um diagnóstico ou pela cura de uma doença. Para mãe da Eloá, Themis Sehnem, as encenações atenuaram o peso de aguardar a cirurgia tão delicada da filha.

Quem quiser conhecer mais sobre o projeto pode acessar a página no facebook.com/ pipocasdehistórias.

Reportagem: Juliana Goss