Procurador não vê impedimento à visita da Comissão de Direitos Humanos do Senado ao ex-presidente Lula

O Ministério Público Federal se manifestou favorável a visita da presidente do PT, Gleisi Hoffmann e de membros da Comissão de Direitos Humanos do Senado ao ex-presidente Lula em Curitiba. O procurador da força-tarefa da Lava Jato, Carlos Lima, afirmou em um parecer que não vê nenhum impedimento para a realização da vistoria.

A juíza Carolina Lebbos, da 12ª Vara da Justiça Federal, autorizou que a Comissão verifique a situação da sala onde está detido o ex-presidente na Superintendência da Policia Federal e das celas dos outros presos. A vistoria está marcada para esta terça-feira (17) a partir das duas horas da tarde.

No documento, o procurador respondeu ainda ao pedido de visita dos políticos Eduardo Suplicy, Carlos Lupi, André Figueiredo e Ciro Gomes e do Nobel da Paz, o argentino Adolfo Esquivel. Lima ressaltou que a defesa de Lula deverá esclarecer se esses nomes são amigos pessoais do apenado.

A fiscalização por parte da Comissão do Senado está prevista no regimento interno da Casa. Em despacho, a juíza da 12ª Vara da Justiça Federal afirma que apesar de não haver qualquer informação de violação a direitos de pessoas custodiadas na PF, decidiu autorizar a visita da Comissão.

No entanto, ela pediu que seja repassada à autoridade policial o nome dos membros da Comissão que pretendem realizar a diligência, considerando a necessidade de preservação da segurança e funcionamento da superintendência. O líder do PT no Congresso, senador Lindbergh Farias, afirma que é importante que o ex-presidente Lula tenha direito a receber visitas.

Confirmaram a vinda a Curitiba, além de Gleisei Hoffmann, do PT do Paraná, mais 13 senadores, entre eles Roberto Requião, do MDB do Paraná.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*