Falta de cinto de segurança é infração mais comum registrada pela Guarda Municipal de Curitiba

(Foto: Divulgação / Setran PR)

Não usar cinto de segurança é a infração de trânsito mais comum entre as autuações feitas por guardas municipais em Curitiba. Foram 7.500 registros nos últimos 12 meses. No mesmo período, o número de autuações por falta de uso de cinto chega a 11.600 se forem somados os dados da fiscalização feita por agentes da Superintendência de Trânsito, a Setran. Os números indicam que motoristas e passageiros vêm perdendo um hábito conquistado com muita dificuldade pela sociedade brasileira.

O uso de cinto de segurança, que era raro no país, só se tornou obrigatório a partir de 1998, quando entrou em vigor o atual Código de Trânsito Brasileiro. Os guardas municipais de Curitiba estão autorizados a fiscalizar motoristas há quase um ano, desde 23 de fevereiro de 2018. Nesse período, a falta de uso de cinto se tornou recordista em autuações principalmente nos bairros mais periféricos. Segundo o inspetor Claudio Augusto de Oliveira, do Centro de Operações da Guarda Municipal, quanto mais afastados do Centro da cidade, mais os motoristas negligenciam o uso do cinto de segurança.

Além de aumentar o risco de sofrer ferimentos graves caso se envolva em um acidente, o motorista que dirige sem cinto está sujeito a uma multa de R$ 195,23 e a perda de cinco pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). A falta é considerada grave. Oliveira explica que a autuação pode dobrar de valor se houver identificação de que um ou mais passageiros também estão sem cinto de segurança.

Mesmo que esteja com cinto, o motorista ainda pode ser multado se um passageiro não estiver usando o equipamento de segurança. O inspetor Claudio Augusto de Oliveira diz que o uso de telefones celulares no trânsito e o desrespeito ao sinal vermelho são outros tipos de infração que chamam a atenção dos guardas municipais.

Entre as irregularidades mais comuns identificadas Guarda no trânsito estão 6.572 registros de estacionamento em local ou horário proibido; 6.483 casos de estacionamento em calçada e 5.490 registros de uso do telefone celular no trânsito. Curitiba tem 351 guardas municipais aptos a atuar na fiscalização de trânsito. Eles passaram por capacitação oferecida em parceria com o Detran do paraná ou pelo curso de formação da própria Guarda Municipal. A fiscalização de trânsito foi uma atividade incorporada na rotina dos agentes, que têm atribuição original de fazer o patrulhamento preventivo e ostensivo.

Reportagem: Lenise Klenk