Moro vai ouvir testemunhas de réus de processo decorrente da primeira denúncia de cartel na Lava Jato

(Foto: Divulgação/Agênca Brasil)

Depois de uma semana sem audiências na Justiça Federal em Curitiba, a agenda de depoimentos da Lava Jato volta a ficar cheia. Na segunda-feira (20), o juiz Sérgio Moro vai ouvir oito testemunhas de defesa do processo decorrente da primeira denúncia de cartel de empreiteiras investigado na operação.

A ação penal acusa representantes da Queiroz Galvão e da Iesa Óleo e Gás de participarem da organização criminosa voltada para a corrupção, lavagem de dinheiro, formação de cartel e fraudes à licitação na Petrobras. Os depoimentos estão agendados para começar às duas da tarde e serão por videoconferência de Recife.

De acordo com a denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal em setembro do ano passado, os crimes ocorreram entre os anos de 2006 e 2014. Segundo a acusação, neste período, todos os contratos firmados entre as empresas e a estatal tiveram como contrapartida o pagamento de propina as Diretorias de Abastecimento e Serviços.

Partidos políticos seriam responsáveis por manter os diretores da estatal nos cargos. Na terça-feira (22), a partir das onze da manhã, estão previstos mais três depoimentos de testemunhas de defesa, entre elas o senador Benedito de Lira, do PP de Alagoas.

São réus no processo cinco ex-executivos da Queiróz Galvão (Petrônio Braz Junior; André de Farias Pereira; Othon Zanoide; Augusto Amorin e Ildefonso Colares Filho) e três representantes da Iesa Óleo e Gás (Rodolfo Andriani; Valdir Lima Carreira e Otto Garrido Sparenber).